Skip to main content

As zebras da Liga dos Campeões 2019-20

Atalanta, Lyon e RB Leipzig chegam à reta final da Champions

de Flávia Rodrigues

agosto 12, 2020

A edição da Liga dos Campeões 2019-20 certamente será lembrada pela imprevisibilidade. Além da interrupção de 5 meses causada pela pandemia de Covid-19, o que chama a atenção é a quantidade de zebras que disputam a reta final da competição.

A partir desta quarta-feira (12), o torneio entrará em ritmo de “Copa do Mundo” em Lisboa, com 7 jogos decisivos em 12 dias. Mas, entre os 8 clubes participantes, apenas dois já conquistaram o torneio em edições passadas. Bayern de Munique e Barcelona são as exceções. Porém, os dois se enfrentarão na sexta-feira (14) em jogo único e somente um poderá continuar na briga por mais um título da Champions – ambos buscam o hexacampeonato.

Manchester City, Lyon, RB Leipzig, Atlético de Madrid, Atalanta e PSG disputam o primeiro troféu da maior competição entre clubes da Europa. Entretanto, três destes clubes já chegaram às finais do torneio, mas tiveram que se contentar com o  vice-campeonato. O feito mais inusitado pertence aos Colchoneros, que amarguraram o 2º lugar em três edições. Os Citizens e parisienses completam a lista.

Levando em consideração a campanha para chegar até aqui, Lyon, RB Leipzig e Atalanta são os destaques. Quem acreditaria que o trio chegaria tão longe na Champions?

Afinal, quais as armas desses azarões?

Atalanta:

A equipe italiana é a sensação e grande surpresa do futebol na atualidade. Vivendo a melhor temporada da sua história, a Atalanta marcou 115 gols em 47 partidas. Em sua primeira participação na Liga dos Campeões, soma a mesma quantidade de gols marcados e sofridos: 16 gols em 8 jogos. Além disso, depois de ter começado mal (foram 3 derrotas seguidas nos primeiros confrontos), o clube vem de uma arrancada de 4 vitórias consecutivas para enfrentar o PSG nas quartas de final.

O grande segredo da Atalanta é seu poder ofensivo. Na sequência invicta da Champions, o time marcou 13 gols em 4 duelos. Ainda assim, se analisarmos a participação no Campeonato Italiano, a equipe balançou a rede 98 vezes através de 14 jogadores, o melhor ataque desde a década de 60, e terminou com a maior pontuação da sua história, com 78 pontos, em  3º lugar.

Atalanta em seu último compromisso pela Champions League, em março de 2020 (POOL UEFA/AFP via Getty Images)

RB Leipzig:

Com apenas 11 anos de existência, pela primeira vez que o clube do Leste da Alemanha disputa Champions e logo na estreia já chega entre os 8 melhores. E, assim como o rival nas quartas de final, o Atlético de Madrid, busca o título inédito do torneio. O jovem técnico Julian Nageslmann, de 33 anos, dá comando à equipe com seu estilo ofensivo. Em 34 rodadas à frente do time, o alemão tem a média de 2,3 gols por jogo – foram 81 trunfos marcados no total.

No entanto, sem poder contar com Timo Werner, sua maior estrela e artilheiro da temporada (34 gols), que assinou com o Chelsea, o RB Leipzig tem a regularidade como destaque. Terminou a Bundesliga em 3º lugar, com apenas 4 derrotas em 34 jogos. Já na Liga dos Campeões, o azarão se classificou em 1º lugar do Grupo G e ainda eliminou o Tottenham, atual vice-campeão europeu, somando 2 vitórias nas oitavas.

Equipe do RB Leipzig celebra a vitória sobre o Tottenham (ANP Sport via Getty Images)

Lyon:

Diferente das outras duas maiores zebras deste artigo, os franceses têm já certa tradição no futebol europeu. Ao longo dos seus 70 anos, o Lyon já foi heptacampeão francês e semifinalista na Champions 2009-10. Mas, a atual temporada não foi tão fácil, nem com a chegada do técnico Rudi Garcia, que tentou ensaiar uma reação. Apesar de ter terminado em 7º lugar na Ligue 1 e sem vagas europeias, fizeram a façanha de eliminar a Juventus nas oitavas da Champions e levaram até os pênaltis a decisão da Copa da Liga Francesa contra o PSG.

Ao encarar o Manchester City nas quartas de final, o Lyon precisará vencer a todo custo para manter o sonho da taça inédita e, desta forma, conquistar a única oportunidade de disputar um torneio continental em 2020-21. Em 8 jogos da Champions, a equipe teve 3 vitórias, 3 derrotas e 2 empates, com 11 gols marcados e 10 sofridos. Sem dúvidas, é a equipe mais brasileira do torneio. A começar por Juninho Pernambucano, ídolo e diretor de futebol no clube. Além dele, 7 brasileiros, com destaque para a Bruno Guimarães se juntam aos talentos de Memphis Depay e Moussa Dembélé, artilheiro do time com 22 gols.

Jogadores do Lyon comemoram após eliminar a Juventus na Champions League (MIGUEL MEDINA/AFP via Getty Images)

Confira mais notícias sobre Futebol aqui!

Written By,

de Flávia Rodrigues